Meio ambiente




Educação ambiental como instrumento de conservação do solo

Yassuo Curiaki - Instituto Prevenir

 

Esta data é homenagem ao Hugh Hammond Bennett, que nasceu em 15 de Abril de 1881, considerado o pai da conservação dos solos nos Estados Unidos e o criador do Serviço de Conservação de Solos.

No Brasil, o dia é lembrado desde 1989, para enfatizar a importância da conservação saudável desse recurso natural, essencial na produção e qualidade dos alimentos, conservação da água e da floresta, enfim, a preservação da natureza. 

 

É importante refletir...

O desenvolvimento das atividades humanas vem interferindo na conservação do solo e da natureza. O desmatamento, a falta do uso das técnicas de conservação da terra cultivável e os resíduos químicos são ações que modificam a sua estrutura e o equilíbrio ambiental.

Percebemos a falta da engrenagem entre a ciência e a produção. Os efeitos são evidentes, o mais visível ultimamente tem sido a questão da escassez da água. A escassez no Brasil ou em outras partes do mundo, invariavelmente tem uma coisa em comum: o mau uso dos recursos naturais, que funcionam no ecossistema, e o desgaste e erosão do solo são fatores relacionados.

Ao ficar exposto aos efeitos climáticos, sem cobertura vegetal e sem o manejo adequado, o solo não cumpre efetivamente com a sua função básica de renovar a água: garantir a infiltração da água e recarregar o lençol freático, que alimenta as nascentes e os rios, que, por sua vez abastecem reservatórios. E a falta de infiltração provoca as erosões e o assoreamento dos rios e córregos.

O ciclo da água está sendo desrespeitado. Nesse ciclo, é importante ressaltar que as florestas e a qualidade do solo desempenham um essencial papel para a recarga hídrica dos sistemas de abastecimento, pois conferem uma infiltração mais lenta no solo.

É um sistema em que o solo, a floresta e a água trabalham em juntos, influenciam no clima, na manutenção da biodiversidade e consequentemente na produção de alimentos. É uma reflexão muito simples, comprova o quanto tudo está interligado na natureza e que acontece de forma cíclica.

 

Mudança possível precisa começar... E é urgente!

Os desafios existem para conservar o solo, é preciso contarmos com a consciência e a participação das pessoas. É possível trabalhar as alternativas sustentáveis. Por exemplo, na pecuária deve ser implantado o sistema de produção pecuária através de uma pastagem silvipastoril e rotacionada. Esta prática favorece a dinâmica da pastagem de modo a preservar a funcionalidade do solo, beneficiar a infiltração de água e ao mesmo tempo, beneficiar a produção animal. É a produção agroecológica de alimentos.

Este é apenas um exemplo. Há muitas ações cientificamente comprovadas, que amenizam o efeito estufa, respeitam o ciclo da água e consequentemente a conservação do solo. É importante pensar na preservação da microbiota, microrganismos que vivem no solo, como bactérias, fungos e vírus, como fator determinante para a qualidade do solo na agricultura.

 

 

Necessaria e urgentemente, desencadear ações efetivas de Educação Ambiental no âmbito nacional, a começar pelo ambiente local.

Importância da Educação Ambiental para mudanças de comportamentos e  atitudes - Consórcio Comares

É possível fazer muito pelo solo, existem muitas ações a serem desenvolvidas e a aprendizagem, mudanças de comportamento e pela conscientização é o primeiro passo. É um olhar abrangente sobre a importância dos recursos da natureza. E a educação permanente e conscientização, estimulam políticas públicas mais efetivas e estimulam a participação da sociedade. Neste dia, entender que a conservação da riqueza dos solos garante a melhoria do ecossistema e estaremos defendendo a vida.


Envie seu(s) comentário(s)