Nacional




O que é o Leite Pasteurizado?

Nem sempre os apelos comerciais e a comodidade na compra de alimento significam maior qualidade dos alimentos que consumimos. Normalmente, as facilidades exigem processos industriais que alteram as propriedades dos produtos, principalmente os aspectos nutricionais e de segurança dos alimentos. Para que haja uma escolha consciente, é fundamental que se conheça os produtos que consumimos.

O tratamento térmico do leite ainda é um processamento necessário. Entretanto, é importante escolher aquele que preserve a qualidade e as propriedades naturais, da melhor forma possível. Na pasteurização, o leite é aquecido a uma temperatura de 72 a 75°C por 15 segundos e em seguida é resfriado, e é mais que provado que elimina as bactérias patogênicas, que causam doenças.

Mas, no leite precisamos entender a importância de outras bactérias benéficas à nossa saúde. É o caso dos lactobacilos. São microrganismos benéficos para o funcionamento da digestão dos nossos intestinos e estudos demonstram o seu papel na prevenção de câncer. Além disso, fortalecem o sistema imunológico e minimizam os efeitos colaterais provocados por antibióticos.

Embora o leite pasteurizado também é processado pelo calor, mas a temperatura submetida permite que uma quantidade de lactobacilos sejam preservados. É por isso que o leite pasteurizado acidifica e o prazo de validade é no máximo de 5 dias. 

De acordo com estudos da Esalq/USP, as perdas de nutrientes são significamente menores no leite pasteurizado comparados com outros tipos de processamento, como as proteínas de alto valor biológico, principalmente do soro do leite, as vitaminas C, B1, B2, B6 e B12, o ácido fólico e a lisina, um aminoácido responsável pela reparação de tecidos. De acordo com as pesquisas, as bactérias esporuladas podem sobreviver no processamento em altas temperaturas e podem manter-se permanecer latente nos produtos armazenados por longo período de tempo na prateleira.

O consumidor também percebe a diferença no sabor do leite pasteurizado e na obtenção de derivados, como o queijo e iogurtes.

Envie seu(s) comentário(s)